11 de março de 2018

BRISA


Corre de mansinho a brisa fresca
Sobre o meu corpo já cansado
Na escura noite que vem chegando
Revejo o teu rosto iluminado.

Daqui deste lugar de olhos fechados vejo
Uma sombra que passa não sei se é tua
Ergo o meu corpo mas não alcanço
A visão que aos poucos se esvai na rua.

A brisa tão leve já se afastou
Um novo dia eu quero ver
Escondeu-se a lua, ou não chegou
   Virá o sol para me aquecer.

Enviar um comentário