26 de novembro de 2016

Juras de amor




Passas-te com ela bem a meu lado
Finges-te que não me conhecias
Agora vais remoendo o passado
Quando a chuva for caindo todos os dias.

A chuva miudinha te vai lembrando
Dos momentos em que vivias a meu lado
Eu era para ti a doce amante
E tu eras para mim meu bem-amado.

Na minha mente ainda existe a lembrança
Daquela noite escura em que partiste
O passado é para mim a doce esperança
Das juras do teu amor que me traíste.


Enviar um comentário